LinkedIn: a rede profissional ‘passaporte’ para excelentes oportunidades

O fortalecimento da marca pessoal perpassa por elaborar uma estratégia. E parte dessa estratégia decisivamente deve envolver o LinkedIn, a maior rede profissional do mundo. Essa plataforma vai além da busca por emprego. Nela, você cultiva e amplia sua rede de apoio, constrói sua reputação, compartilha conhecimento e alcança oportunidades impressionantes. Para tanto, engajar com os temas em alta e produzir conteúdo – seja no seu feed ou por meio de comentários – é essencial.

No dia 27/10/2023, terei o privilégio de mediar o painel “Aprenda a ter destaque no LinkedIn através da notoriedade em sua área de atuação”, no qual participarei junto a dois grandes profissionais do LinkedIn: Luiz Gustavo Ribeiro e Marcela Leviz. Juntos, discutiremos sobre como a utilização periódica da ferramenta não ajuda só a acumular conexões ou seguidores, mas sim verdadeiros aliados que podem fazer a diferença na sua trajetória profissional.

Como a Fenalaw começa amanhã (25/10), deixarei algumas reflexões superimportantes para ir aquecendo as turbinas até o dia do nosso encontro.

  • Periodicidade: não existe uma recorrência pré-estabelecida. Você tem que entender o que melhor se adequa à sua rotina. O que não dá é para você postar uma vez, sumir e deixar de interagir com suas conexões acreditando que de alguma forma você ganhará alcance sem usar a ferramenta.
  • Participe além dos posts: comentar, reagir, fazer teste de competência, recomendar, atualizar seu perfil… Existem tantas maneiras de utilizar a ferramenta, que poderíamos ficar horas conversando. Perca o medo e inicie o processo!
  • Estabeleça um nicho: quem é seu público? Se você resolveu criar conteúdo e quer estabelecer um laço com seus seguidores, é extremamente importante deixar claro quais são os assuntos principais sobre os quais você falará, estabelecendo uma forma de comunicar. Eu, por exemplo, tenho um nicho muito voltado para o jurídico corporativo e o mundo corporativo de uma forma geral. Muito raramente saio desse público-alvo.
  • Conteúdo: cuidado com o copia e cola, com as mensagens criadas com o apoio do ChatGPT e com a falta de originalidade! As pessoas reparam muito nisso. Seja genuíno e crie sua própria marca.. Defina o ‘tom da sua voz’! Você vai ver que qualidade é muito mais importante que qualidade e que ser autêntico é a melhor forma de gerar valor para a sua carreira.
  • Atualize seu perfil: preencha todos os campos obrigatórios. Colocar uma foto legal (você consegue um alcance 20x maior se tiver uma foto, acredite!), atualizar suas habilidades, suas conquistas profissionais e em qual trabalho voluntário está envolvido é um caminho consistente rumo a um “LinkedIn Perfil Campeão”.
  • Seja um Creator: se você realmente quer entregar conteúdo, além de ter um público específico, estabelecer uma recorrência e se comprometer com informação de qualidade, existem alguns critérios técnicos para habilitar essa feature em seu perfil. Alguns critérios são: base de ao menos 150 seguidores, ter criado conteúdos originais (e não só compartilhamento) e histórico de respeito às políticas. Você vai ter acesso a um dashboard mais completo de análises (alcance, quantas pessoas buscaram seu perfil), o botão ‘seguir’, a possibilidade de fazer live, entre outros.

E para a advocacia? Bem, precisamos ter alguns cuidados. Além dos cuidados habituais que devemos ter com nossa marca pessoal (todas as informações da nossa vida profissional estão aqui), não podemos esquecer do Provimento nº 2025/2021 da OAB, que regulamenta o marketing jurídico no Brasil.

Por mais que sejamos criadores de conteúdo, precisamos lembrar que temos uma norma da entidade máxima que regulamenta a nossa profissão. Para quem está em busca de clientes, fazer uma leitura completa do Provimento antes de iniciar essa jornada é o ideal. A norma define diretrizes que garantem a prática ética do marketing jurídico, evitando postagens enganosas, sensacionalistas ou que comprometam a dignidade e a confidencialidade das informações relacionadas aos clientes. Temos inclusive a proibição de expressões exageradas ou que induzam potenciais clientes ao erro.

Estar por dentro do Provimento e entender o nosso Código de Ética, além de compartilhar conteúdo de qualidade possibilitando a captação orgânica e natural de clientes e oportunidades são objetivos tangíveis quando focamos no LinkedIn. Na plataforma, entregamos conteúdo de valor, fomentamos um networking potente e, de quebra, estabelecemos para todos os nossos contatos profissionais conhecimento, algo que quem pratica uma advocacia de qualidade não se cansa de fazer. Vamos juntos intensificar o uso de mais essa forma de conexão?

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Rolar para cima